GRUPO DE PESQUISA EM FILOSOFIA E PRÁTICAS PSICOTERÁPICAS (UNICAMP/SBPW)

Histórico

O GRUPO DE PESQUISA EM FILOSOFIA E PRÁTICAS PSICOTERÁPICAS (GrupoFPP) começou a ser organizado, ainda de maneira informal, no início dos anos 1990, a partir de orientandos de Zeljko Loparic que trabalhavam a história da psicanálise usando o referencial teórico constituído pela filosofia transcendental de Kant, a ontologia fundamental de Heidegger e a teoria heurística da ciência inspirada em Th. S. Kuhn. Kant era empregado para repensar as origens da psicanálise freudiana, Heidegger para desconstruir os ingredientes metafísicos da psicanálise tradicional, e Kuhn para dar um enfoque espistemológico-histórico do desenvolvimento da psicanálise e de práticas psicoterápicas mais importantes dos nossos dias.

Esta linha de pesquisa recebeu um impulso decisivo pela descoberta, feita em 1995 e consolidada em seguida, de que a psicanálise de Winnicott, ao abandonar o Édipo como complexo nuclear, opera uma "mudança do paradigma" da psicanálise tradicional, e que o paradigma winnicottiano não-edipiano pode ser aproximado, de maneira frutífera, do projeto heideggeriano de uma psicopatologia e psicoterapia baseadas na analítica existencial.

Os cursos e projetos que seguem essa linha de pesquisa vêm sendo realizados no Programa de Pós-Graduação em Filosofia do Departamento de Filosofia da UNICAMP e no Programa de Estudos Pós-Graduados da PUCPR. Os resultados já obtidos podem ser encontrados neste site, na janela de Publicações.

Estrutura

O GrupoFPP é liderado por Zeljko Loparic e composto de pesquisadores de níveis acadêmicos diferentes, ligados a várias instituições acadêmicas. A sua vinculação ao Grupo se dá mediante a participação numa ou mais de suas atividades programadas, tais como realização de pesquisa em nível de mestrado ou doutorado, ministração de cursos e palestras, participação em seminários de pesquisa e colóquios, colaboração nas publicações etc.

Linha de pesquisa atual

O GrupoFPP desenvolve estudos sobre as práticas de tratamento de distúrbios psíquicos à luz da filosofia moderna e contemporânea. Distinguimos dois grupos principais dessas práticas:

  • as edipianas, que incluem a psicanálise de Freud e dos principais psicanalistas freudianos - Klein, Bion, Lacan;
  • as não-edipianas, entre elas a análise individual de Jung, as diferentes versões da análise existencial e com ênfase particular a psicanálise de Winnicott.

Objetivos

A linha de pesquisa em FILOSOFIA E PRÁTICAS PSICOTERÁPICAS tem como principais objetivos:

  • estudo histórico e epistemológico das práticas psicoterápicas.
  • estudo das diferenças entre as práticas clínicas psicoterápicas edipianas e não-edipianas.
  • desconstrução das práticas clínicas edipianas e não-edipianas à luz do pensamento pós-metafísico.

Referencial teórico

Os estudos que serão desenvolvidos no quadro da presente linha da pesquisa levarão em conta:

  • a grande tradição metafísica da modernidade (Kant e a herança kantiana).
  • teoria heurística da ciência (Th. S. Kuhn).
  • o pensamento pós-metafísico, em particular o de Martin Heidegger.

Interação com outros grupos de pesquisa

  • Programa de Mestrado e Doutorado do Depart. de Filosofia da UNICAMP.
  • Grupo de Pesquisa em Fenomenologia e Hermenêutica, da UFSM (Prof. Robson R Reis)
  • Grupo de Trabalho Heidegger, da ANPOF.
  • Sociedade Brasileira de Fenomenologia.
  • International Federation of Daseinsanalysis (Alice Kunz-Holzhey, Zurique).
  • Winnicott Trust (Angela Joyce, Lesley Caldwell e Steven Groarke, Londres).
  • CLE, Unicamp
  • Seção de Campinas da Sociedade Kant Brasileira