Página inicial > Pesquisa > Pesquisas concluídas > Contribuições de D. W. Winnicott para a etiologia e a clínica do (...)

Contribuições de D. W. Winnicott para a etiologia e a clínica do Autismo

quarta-feira 1º de outubro de 2014, por Equipe

Esta dissertação consiste nos resultados de uma pesquisa bibliográfica feita dentro da teoria do amadurecimento pessoal, elaborada por Winnicott, objetivando reunir o que ele pôde pensar e evidenciar em sua prática clínica a respeito de uma interrupção nesse amadurecimento, na fase de dependência absoluta, que corresponde à vivência de uma agonia impensável e à organização de defesas no sentido da invulnerabilidade contra a revivência dessa agonia que é o autismo. Foi destacada a hipótese que relaciona a etiologia do autismo com falhas ambientais, também associadas com outros tipos de psicose, mas que, nesse caso, estão acrescidas o ódio inconsciente da mãe pelo bebê. Buscou-se o modo como o autor entende esse sentimento materno, atentando-se para a questão do desamparo na maternidade e a conseqüente necessidade de amparo emocional para a mãe; este último sendo considerado uma função inicial do pai. Além disso, a pesquisa procurou reunir as idéias de Winnicott relacionadas ao tratamento das crianças autistas, e os desdobramentos dessas idéias na clínica de outros profissionais, especialmente no Brasil.

Bibliografia

AB’SABER, T. A. M. 1997 “Winnicott, seu Freud e a psicanálise.” Percurso, nº 19 (02), pp 57-64.

ALBERTI, S. (org). 1999 Autismo e Esquizofrenia na clínica da esquize. Rio de Janeiro: Marca d’Água Livraria e Editora.

ALERINI, P. 1991 “As mães das crianças autistas.” In: O que a clínica do autismo pode ensinar aos psicanalistas. Salvador: Álgama- Psicanálise. ( p. 137-47).

ALVAREZ. A. 1994 Companhia viva: psicoterapia paicanalítica com crianças autistas, borderline, carentes e maltratadas. Porto Alegre: Artes Médicas Sul.

AJURIAGUERRA e MARCELI 1991 Manual de psicopatologia infantil. Porto Alegre: Artes Médicas.

AMIRALIAN, M. L. T. M. 1997 “Compreendendo a deficiência pela óptica das propostas winnicottianas.” Estilos da clínica, ano II, nº 2, 2º semestre de 1997, p. 97-102, São Paulo: Instituto de Psicologia - USP.

AMY, M. D. 2001 Enfrentando o autismo: a criança autista, seus pais e a relação terapêutica. Rio de Janeiro: Zahar Editora.

BARROS e SILVA, M. H. 1997 “Uma contribuição de D.W.Winnicott para a clínica do autismo. A noção de angústia impensável.” In: Autismos. ROCHA, P. S. (org.) São Paulo: Escuta; Recife: CPPL.

BERCHERIE, P. 1998 “A clínica de psiquiatria de criança – estudo histórico.” Malentendido, nº 3.

BETTELHEIM, B. 1987 A Fortaleza Vazia. São Paulo: Martins Fontes.

BRUNETTO, A . 1999 “Ser ou não ser ... um sujeito? Eis a questão do autista.” In: ALBERTI, S. (org). Autismo e Esquizofrenia na clínica da esquize. Rio de Janeiro: Marca d’Água Livraria e Editora.

CAMPANÁRIO DE MOURA, I. S. 1995 “Autismo infantil: percurso pelo conceito na psiquiatria e na psicanálise.” Revista de Psiquiatria e Paicanálise com crianças e adolescentes, v.I, nº 2, jan-julho.

CAVALCANTI, A . E. e ROCHA, P. S. 2001 Autismo: construções e desconstruções. São Paulo: Casa do Psicólogo.

CID – 10. Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde – Organização Mundial de Saúde: 2000 São Paulo: EDUSP.

DARR, E. D. e WORDEN, F. C. 1951 “Case Report Twenty-eight Years after na Infantile Autistic Disorder”. American Journal of Ortho Psychiatry, 21: 559-569.

DAVIS, M. e WALLBRIDGE, D. 1982 Limite e Espaço: uma introdução à obra de D.W.Winnicott. Rio de Janeiro: Imago.

DIAS, E. O. 1995 “Winnicott e a teoria das pulsões.” Boletim de Novidades, vol. 08, nº 77, pp 53-60.

___ 1998 A teoria das psicoses em D.W. Winnicott. Tese de Doutorado, PUC-SP.

___ 1999a “Resenha: D.W.Winnicott: Pensando sobre Crianças.” Natureza Humana: Revista Internacional de Filosofia e Práticas Psicoterápicas. Vol. I, nº 1, 1999. PUC – SP: EDUC.

___ 1999b “Sobre a confiabilidade: decorrências para a prática clínica.” Natureza Humana: Revista Internacional de Filosofia e Práticas Psicoterápicas. Vol. I, nº 2, 1999. PUC – SP: EDUC.

___ 2000 “Winnicott: agressividade e teoria do amadurecimento.” Natureza Humana: Revista Internacional de Filosofia e Práticas Psicoterápicas. Vol. II, nº 1, 2000. PUC – SP: EDUC.

DOLTO, F. 1990 Seminário de Psicanálise de Crianças 2. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

DSMIV- Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: 1995. 4ª edição. Porto Alegre: Artes Médicas.

ERICSON, N. 1995 “O autismo na estrutura: Rosine e Robert Lefort.” Letra Freudiana.Escola, Psicanálise e Transmissão. Ano XIV, nº 14. Rio de Janeiro: Revinter. (p. 139-144).

FERNANDEZ, M. R. 1995 “O Buraco Negro: Frances Tustin.” Letra Freudiana.Escola, Psicanálise e Transmissão. Ano XIV, nº 14. Rio de Janeiro: Revinter. ( p. 53-59)

FINK, B. 1998 O sujeito lacaniano: entre a linguagem e o gozo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

FOSTER, O. H. 1999 “Autismo em Neurologia Infantil”. In: JERUSALINSKY, A. 1999 Psicanálise e desenvolvimento infantil: um enfoque transdisciplinar. Porto Alegre: Artes e Ofícios.

FREUD, S. 1911b “Formulações sobre os dois princípios de funcionamento mental.” Edição Standard Brasileira, vol. XII. Imago Editora, 1976.

___ 1923 “A organização genital infantil: uma interpolação na teoria da sexualidade.” Edição Standard Brasileira, vol. XII. Imago Editora, 1976.

GEISSMANN, C. e P. 1993 A criança e sua psicose. São Paulo: Casa do Psicólogo.

GRAÑA, R. 1996 “Apresentação à Edição Brasileira”. In: 1996a.

GROLNICK, S. 1993 Winnicott: o trabalho e o brinquedo – uma leitura Introdutória. Porto Alegre: Artes Médicas.

GUGLIELMETRI, M. L. 1998. “A ‘presença-ausência’ em jogo nas crianças psicóticas e autistas.” Estilos da clínica, ano III, nº 5, 2º semestre de 1998, p. 35-44, São Paulo: Instituto de Psicologia - USP.

HEIDEGGER, M. 2001[1927]. Ser e tempo. Editora Vozes.

HERRMANN, F. 1983. O que é Psicanálise. São Paulo: Editora Brasiliense. S.A.

JERUSALINSKY, A. 1999 “Desenvolvimento e psicanálise.” In: Psicanálise e desenvolvimento infantil: um enfoque transdisciplinar. Porto Alegre: Artes e Ofícios.

JORGE, M. A. C. 2000 Fundamentos da psicanálise de Freud a Lacan, Vol I: as bases conceituais. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editores.

KANNER, L. 1997 [1943]. “Os distúrbios autísticos do contato afetivo.” In: Autismos. ROCHA, P. S. (org.) São Paulo: Escuta; Recife: CPPL.

KAUFMANN, P. 1996 Dicionário enciclopédico de psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar.

KUPFER, M. C. 1999. “Psicose e autismo na infância: problemas diagnósticos.” Estilos da Clínica. Instituto de Psicologia Universidade de São Paulo. 4 (7).

___ 2000 Educação para o futuro: psicanálise e educação. São Paulo : Escuta.

KUHN, T. 2000[1962] A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva.

LACAN, J. 1985 [1972-3]. O seminário, livro 20: Mais ainda. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

___ (1995) O seminário: A relação de objeto. Livro 4. Rio de Janeiro: Jorge Zahar editores.

LAZNIK-PENOT, M. C. 1997. Rumo à palavra. São Paulo: Escuta.

LIMA, J. C. de S. 1995. “O mundo do encontro: Bruno Bettelheim. Considerações acerca do autismo infantil.” Letra Freudiana.Escola, Psicanálise e Transmissão. Ano XIV, nº 14. Rio de Janeiro: Revinter. (p. 9-25).

LOPARIC, Z. 1996. “Winnicott e o pensamento pós-metafísico.” In: D. W. Winnicott na Universidade de São Paulo: O verdadeiro e o falso. CATAFESTA,

I.(org.) São Paulo: Instituto de Psicologia da USP.

___ 1996b “Winnicott: uma psicanálise não edipiana.” Percurso, Revista de psicanálise, ano IX, nº 17.

___ 1997. “Winnicott a Melanie klein: conflito de paradigmas.” In: CATAFESTA, I. F. M. (Org.), Aclínica e a pesquisa no final do século: Winnicott e a Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia da USP, p.43- 60.

___ 1999 “Heidegger and Winnicott”. Natureza Humana: Revista Internacional de Filosofia e Práticas Psicoterápicas. Grupo de Pesquisa do programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Clínica da PUC-S.P Vol. I, nº 1, 1999. PUC – SP: EDUC.

___ 2000. “O animal humano.” Natureza Humana: Revista Internacional de Filosofia e Práticas Psicoterápicas / Grupo de Pesquisa do programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Clínica da PUC-S.P., vol II, nº 2, 2000.

LOPES, A. G. 1995. “O autismo segundo Leo Kanner.” Letra Freudiana.Escola, Psicanálise e Transmissão. Ano XIV, nº 14. Rio de Janeiro: Revinter (p. 3-7).

MAHLER, M. S. 1983 As psicoses infantis e outros estudos. Porto Alegre: Artes Médicas Sul.

MANNONI, M. 1990 O que falta à verdade para ser dita. Campinas: Papirus.

___ 1998[1997]. “A contribuição de Winnicott para um trajeto na Psicanálise.” Estilos da clínica, ano III, nº 4, 1º semestre 1998, p. 8-19. São Paulo: Instituto de Psicologia – USP.

MEZAN, R. 1990 “Existem paradigmas na Psicanálise?” Percurso. Revista de psicanálise, nº 04 (01).

___ 1993 A sombra de Don Juan. São Paulo: Brasiliense.

MIRANDA, E. R. 1999. “Uma esquizofrenia precocemente desencadeada?”. In: ALBERTI, S. (org). Autismo e Esquizofrenia na clínica da esquize. Rio de Janeiro: Marca d’Água Livraria e Editora.

NCCIP – National center for Clinical Infantil Program. 1997 Classificação Diagnóstica: 0-3 – Classificação disgnóstica de saúde mental e transtornos do desenvolvimento do bebê e da criança pequena. Porto Alegre: Artes Médicas.

OUTEIRAL, J. O. 1996 “Perspectivas de pesquisa na abordagem winnicottiana.” In: CATAFESTA, I. F. M. (Org.) 1996, D. W. Winnicott na Universidade de São Paulo. São paulo: Lemos, P. 71-83.

PACHECO FILHO, R. A. 1993 O Método de Freud para produzir conhecimento: período até a teoria da sedução. Tese de doutorado. Instituto Psicologia da USP.

PACHECO FILHO, R. A. 1999 “O Método de Freud para produzir Conhecimento: revolução na investigação dos fenômemos psíquicos?”. In: Estudos em história da psicologia. São Paulo: EDUC.

PAIVA, A. L. Z. de 1995 “Autismo: uma fase inevitável em Margareth Mahler.” Letra Freudiana.Escola, Psicanálise e Transmissão. Ano XIV, nº 14. Rio de Janeiro: Revinter. (p. 27-40).

PARAVIDINI, J. L. L. 2002 A identificação e o diagnóstico precoces de sinais de risco de autismo infantil. Tese de Doutorado. Universidade Estadual de Campinas – S.P.

PHILLIPS, A. 1988 Winnicott. London: Fontana Press.

RODRIGUEZ, L. 1999 “O dizer autista.” In: ALBERTI, S. (org). Autismo e Esquizofrenia na clínica da esquize. Rio de Janeiro: Marca d’Água Livraria e Editora.

ROSSI, C. 1996. “Trauma e sexualidade.” Revista Brasileira de Psicanálise. Vol. XXX(4): 925-932.

SAFRA, G. 1995. Momentos mutativos em psicanálise: uma visão winnicottiana. São Paulo: Casa do Psicólogo.

STEFAN, D. R. 1991. “Autismo e Psicose.” In: : O que a clínica do autismo pode ensinar aos psicanalistas. Salvador: Álgama- Psicanálise. (15-28).

TUSTIN, F. 1975. Autismo e Psicose Infantil. Rio de Janeiro: Imago.

TUSTIN, F. 1993. “A perpetuação de um erro.” Letra Freudiana.Escola, Psicanálise e Transmissão. Trad. Paloma Vidal. Ano XIV, nº 14. Rio de Janeiro: Revinter. (p. 63-79).

___ 1993. “Carta a Claude Allione.” Letra Freudiana.Escola, Psicanálise e Transmissão. Trad. Paloma Vidal. Ano XIV, nº 14. Rio de Janeiro: Revinter. (p. 81-83).

TUSTIN, F./ VIDAL, E. 1993 “Entrevista” Letra Freudiana.Escola, Psicanálise e Transmissão. Trad. Paloma Vidal. Ano XIV, nº 14. Rio de Janeiro: Revinter. (p. 85-99).

VAILLANT, G. E. 1962 “John Haslam on Early Infantile Autism.” American Journal of Psychiatry, 119:376.

WINNICOTT, C. 1967 “Introdução” In: 1989a.

WINNICOTT, C./SHEPHERD, R./DAVIS, M. (Orgs.) 1989a Explorações psicanalíticas: D.W. Winnicott. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

WINNICOTT, D. W. 1945a “ Conheça o seu filhinho.” In: 1964a.
___ 1945d “Desenvolvimento emocional primitivo.” In: 1958a.

___ 1945f [1944] “Os padrões deles e os seus.” In: 1964a.

___ 1945h [1936] “Para um estudo objetivo da natureza humana.” In: 1996a.

___ 1946b “Alguns aspectos psicológicos da delinqüência juvenil.” In. 1984a.

___ 1948b “Pediatria e psiquiatria.” In: 1958a.

___ 1949g [1947] “A moralidade inata do bebê.” In: 1964a.

WINNICOTT, D. W. 1949n “A criança e as outras pessoas.” In: 1964a.

___ 1953a [1952] “Psicose e os cuidados maternos.” In: 1958a.

___ 1953b “A tolerância do sintoma na pediatria – a história de um caso.” In: 1958a.

___1953c “Objetos transicionais e fenômenos transicionais.” In: 1971a.

___ 1954a “A mente e a sua relação com o psique-soma.” In. 1958a.

___ 1954b “Necessidades das crianças de menos de cinco anos.” In: 1964a.

___ 1955b “Um caso tratado em casa.” In: 1958a.

___ 1955d [1954-5] “Aspectos clínicos e metapsicológicos da regressão dentro do setting psicanalítico.” In: 1958a.

___ 1957o "A contribuição da mãe para a sociedade." In: 1986b.

___1958a Textos selecionados: da pediatria à psicanálise. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1993.

___ 1958b [1950] “A agressão e sua relação com o desenvolvimento emocional.” In: 1958a.

___ 1958f [1949] “Recordações do nascimento, trauma do nascimento e ansiedade.” In: 1958a.

___ 1958j “O primeiro ano de vida. Concepções modernas do desenvolvimento emocional.” In: 1965a.

___ 1958n “Preocupação materna primária.” In: 1958a.

___ 1960a “Contratransferência.” In: 1965b.

___ 1960c “Teoria do relacionamento paterno-infantil.” In: 1965b.

___ 1961a [1959] “Conseqüências da psicose parental para o desenvolvimento emocional da criança.” In: 1965a.

___ 1961b [1957] “Fatores de integração e desintegração na vida familiar.” In: 1965a.

___ 1963a [1962] “Dependência no cuidado do lactente, no cuidado da criança e na situação psicanalítica.” In: 1965b.

___ 1963b [1962] “O desenvolvimento da capacidade de envolvimento.” In: 1984a.

WINNICOTT, D. W. 1963c “Os doentes mentais na prática clínica.” In: 1965b.

___ 1964a A criança e seu mundo. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S. A., 1982.

___ 1964c “O recém-nascido e sua mãe.” In: 1987a.

___ 1964 h “C.G. Jung – Resenha de Memories, Dreams, Reflections.” In: 1989a.

___ 1965a. A família e o desenvolvimento do indivíduo. Belo Horizonte: Interlivros, 1980.

___ 1965b O ambiente e os processos de maturação: estudos sobre a teoria do desenvolvimento emocional. Porto Alegre: Artes Médicas, 1983.

___ 1965c [1957] “Aconselhando os pais.” In: 1965a.

___ 1965h [1959] “Classificação: existe uma contribuição psicanalítica à classificação psiquiátrica?” In: 1965b.

___ 1965j [1963] “Comunicação e falta de comunicação levando ao estudo de certos opostos.” In: 1965b.

___ 1965l [1960] “Os efeitos da psicose sobre a vida familiar.” In: 1965a.

___ 1965m [1960] “A distorção do ego em tempo de falso e verdadeiro self.” In: 1965b.

___ 1965n [1962] “A integração do ego no desenvolvimento da criança.” In: 1965b.

___ 1965p [1960] “Família e a maturidade emocional.” In: 1965a.

___ 1965r [1963] “Da dependência à independência no desenvolvimento do indivíduo.” In: 1965b.

___ 1965t [1950]. “Crescimento e desenvolvimento na fase imatura.” In: 1965a.

___ 1965va [1962]. “Enfoque pessoal da contribuição kleiniana.” In: 1965b.

___ 1965vc [1962] “Provisão para a criança na saúde e na crise.” In: 1965b.

WINNICOTT, D. W. 1965vd [1963] “Distúrbios psíquicos e processos de maturação infantil.” In: 1965b.

___ 1965vf [1960] “O relacionamento inicial entre uma mãe e seu bebê.” In: 1965a.

___ 1968a [1967] “A etiologia da esquizofrenia em termos do fracasso adaptativo.” In: 1996a.

___ 1968c [1967] “O conceito de regressão clínica comparado com o de organização defensiva.” In: 1989a.

___1969a [1968] “A imaturidade do adolescente.” In: 1986b.

___ 1969b [1968] “A amamentação como forma de comunicação.” In: 1987a.

___ 1969f [1968] “Um vínculo entre a pediatria e a psicologia infantil; observações clínicas.” In: 1996a.

___ 1971a O brincar e a realidade. Rio de janeiro: Imago Editora, 1975.

___ 1971b Consultas terapêuticas em psiquiatria infantil. Rio de Janeiro: Imago, 1984.

___ 1971f [1967] “O conceito de indivíduo saudável.” In: 1986b.

___ 1974 “O medo do colapso.” In: 1989a.

___ 1977 The Piggle: relato do tratamento psicanalítico de uma menina. Rio de Janeiro: Imago, 1979.

___ 1984a Privação e delinqüência. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

___ 1984g “Assistência residencial como terapia.” In: 1984a.

___ 1984i “Variedades de psicoterapia.” In: 1984a.

___ 1986a Holding e Interpretação. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

___ 1986b Tudo começa em casa. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

___ 1986f “A cura”. In: 1986b.

___ 1986h [1970] “Vivendo de modo criativo.” In: 1986b.

___ 1986k [1961] “Psicanálise e ciência: amigas ou parentes?” In: 1986b.

WINNICOTT, D. W. 1987a Os bebês e suas mães. São Paulo: Martins fontes, 1999.

___ 1987b. O Gesto Espontâneo. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

___ 1987d “A comunicação entre o bebê e a mãe e entre a mãe e o bebê: convergências e divergências. “ In: 1987a.

___ 1987c [1966] “As origens do indivíduo.” In: 1958a.

___ 1988 Natureza Humana. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1990.

___ 1989c [1970] “Sobre as bases para o self no corpo II- Dois outros exemplos clínicos.” In: 1989a.

___ 1989e [1969] “O desenvolvimento do tema do inconsciente da mãe, tal como descoberto na prática psicanalítica.” In: 1989a.

___ 1989f [1967] “Pós-Escrito: D.W.W. sobre D.W.W.” In: 1989a.

___ 1989s [1965] “Uma nova luz sobre o pensar infantil.” In: 1989a.

___ 1989vb [1965] “Notas sobre o retraimento e regressão.” In: 1989a.

___ 1989vl [1961] “Psiconeurose na infância.” In: 1989a.

___ 1989vk [1965] “A psicologia da loucura: uma contribuição da psicanálise.” In: 1989a.

___ 1989xa [1969] “Sobre o uso de um objeto O uso do objeto no contexto de moisés e o monoteismo.” In: 1989a.

___ 1993a Conversando com os pais. São Paulo: Martins Fontes, 1993.
___ 1993b [1969] “A construção da confiança”. In: 1993a.

___ 1993g [1955] “Madrastas e Padrastos.” In: 1993a.

___ 1993i [1960] “O que irrita?” In: 1993a.

___ 1996a Pensando sobre crianças. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

___ 1996c [1966] “Autismo”. In: 1996a.

___ 1996l [1936] “Higiene mental da criança pré-escolar.” In: 1996a.

Publicação

ARAÚJO, Conceição A. S. 2002 "A depressão pós-parto e sua interferência no desenvolvimento da função materna" Psicologia Revista, nº 15, São Paulo: EDUC. (no prelo).

___ 2003 "Pensando o autismo a partir da teoria do amadurecimento pessoal de Winnicott" Natureza Humana, v.5, São Paulo: EDUC. (no prelo).

___ 2003 "Winnicott e a etiologia do autismo: considerações acerca da condição emocional da mãe" Estilos da Clínica, São Paulo: IPUSP. (no prelo).


autismo, agonia impensável, invulnerabilidade, ódio inconsciente, desamparo materno